Advertisement
  1. Business
  2. Creativity

7 Ideias de Negócio para Fazer Dinheiro na Economia Criativa

by
Read Time:11 minsLanguages:

Portuguese (Português) translation by André (you can also view the original English article)

É possível prosperar e ser bem sucedido apenas com o mérito de suas ideias? Sim - pelo menos em relação ao que é conhecido como "economia criativa". Não só é possível para os criativos prosperarem neste sistema, mas o próprio sistema é construído sobre o intercâmbio e a execução de suas ideias.

O autor John Howkins, que escreveu livros sobre economia criativa nos últimos 15 anos, definiu a economia criativa como uma economia "que lida com ideias e dinheiro."

Nesta economia, as principais mercadorias são imaginação, engenhosidade e inovação. Quanto mais uma pessoa ou organização tem essas características, maior o retorno. Compare isto com a economia de fabricação, onde os principais fatores que impulsionam o valor são a demanda de produção, do comércio e dos consumidores. Em uma economia criativa, a força e a singularidade da sua ideia é mais importante que a eficiência de sua linha de produção.

Dado como as organizações, à exemplo das Nações Unidas e o Banco Interamericano de Desenvolvimento, estão tentando definir e medir a economia criativa, é importante entender como ela funciona e qual o seu papel no cenário atual.

Investing in CreativityInvesting in CreativityInvesting in Creativity
Investindo na sua criatividade (gráfico).

Por que a Economia Criativa é Importante?

Apesar do nome, a economia criativa não se limita a campos específicos de criativos. Desde que o valor seja possível de ser medido em termos de inovações e ideias, os conceitos se aplicam. Ainda assim, as indústrias que melhor atendem esses requisitos produzem, na maioria das vezes, arte, design, entretenimento, mídia e cultura.

Existem algumas razões de o porquê a economia criativa é importante agora, até mesmo para pessoas que não são artistas (ou outros criativos tradicionais). Primeiro de tudo, a tecnologia web atual torna possível que as pessoas, rapidamente e de forma barata, lancem e promovam suas ideias, independentemente de seus antecedentes e capital. Por exemplo, práticas comerciais tais como lean startup diminuem os ciclos de desenvolvimento dos negócios, permitindo-lhes lançar produtos e serviços mais rapidamente.

Eventos como o Startup Weekend e vários hackathons encorajam os participantes a entregar um produto mínimo em questão de dias ou horas, ao mesmo tempo que criam as condições para que essas pessoas colaborem uns com os outros durante esse curto período de tempo. Se sua ideia é um blog simples ou um pacote de software online, testar e lançar sua ideia pode ser mais rápido e mais rentável hoje do que teria sido dez ou vinte anos atrás.

Aprenda mais sobre como funciona a ideia de lean startups:

Além disso, muitos postos de trabalho simples e repetitivos, agora podem ser automatizados. Especialistas estimam que, até 2020, haverá uma perda líquida de cerca 5 milhões de empregos no mercado global. De acordo com o mesmo relatório, a principal habilidade que durante este tempo se tornará cada vez mais importante é a capacidade cognitiva, que inclui a flexibilidade cognitiva, raciocínio e criatividade. Isto significa que os trabalhadores que desejam se manter competitivos no futuro próximo devem trazer algo extra para a mesa: sua criatividade.

Por causa dessas condições, torna-se mais importante para os trabalhadores qualificados aprender a competir na economia criativa, onde suas ideias podem ser realizadas rapidamente e suas habilidades não são susceptíveis de serem automatizadas. Apesar de alguns campos criativos como as artes, o design e a cultura serem facilmente identificáveis como setores que tendem a prosperar nessa economia, a habilidade técnica é, também, crucial.

O que é valioso em uma economia criativa é o quão única e inovadora é a sua ideia, ao invés da forma que aquilo vai, em segundo momento, tomar. Em outras palavras, um escultor que não faz um trabalho inovador pode acabar produzindo menos valor em uma economia criativa do que um programador que cria uma solução de tecnologia simples para um problema importante no mundo.

Prosperando em uma Economia Criativa

Independentemente do conjunto de habilidades que você tem, é possível participar da economia criativa. Lembre-se, no entanto, que competir na economia criativa não é para todos. Aqui estão os traços e as habilidades que uma pessoa pode precisar para prosperar:

  • Competência e domínio sobre seu campo. O valor de um projeto dentro da economia criativa se baseia na força de suas ideias, além, claro, da competência necessária para executá-las. Mas ter as habilidades pretendidas não é o suficiente para você começar a se chamar de "programador" ou "artista" ou "fundador de startup" - você também precisa ter a visão de como as coisas devem funcionar. Você só consegue atingir esse tipo de estágio através da prática deliberada, muita experiência e gerando e testando muitas ideias ao longo do caminho.
  • Competências empresariais. Competência e boas ideias vão, invariavelmente, te levar longe. Sem habilidades empresariais, será difícil fazer seus projetos serem sustentáveis e rentáveis. Essas competências, no entanto, não se limitam ao aspecto financeiro de sua ideia. Também é importante para qualquer trabalhador criativo entender de marketing, vendas e organização. Se você estiver trabalhando com um time, habilidades de gestão também virão a calhar.
  • Ser parte de uma comunidade forte. Há um aspecto social dentro da economia criativa, se você está procurando lançar projetos de consciência cívica, colabore com outras pessoas, construa uma audiência ou simplesmente procure o apoio inspirador e mental de um grupo criativo. Na ausência de uma comunidade existente, encontre ou crie o seu próprio grupo. Afinal de contas, em uma economia de ideias e criatividade, será difícil estabelecer seu papel no mercado sem a presença dos outros.

Sendo competente em sua área, tendo algumas habilidades empreendedoras e sendo membro de uma comunidade, você aumenta suas chances de prosperar através da criatividade.

How to Make Money in a Creative EconomyHow to Make Money in a Creative EconomyHow to Make Money in a Creative Economy
Qual é o seu caminho para prosperar em uma economia criativa? (ilustração)

Como Ganhar Dinheiro na Economia Criativa

Apesar de essas não serem ideias ou projetos específicos que você pode lançar imediatamente, eles são modelos de negócio que você pode usar para começar o seu próprio projeto dentro da economia criativa.

1. Ensine uma Habilidade Específica

Considerando o fato de que os trabalhadores criativos tendem a ser bem informados em seus campos, eles podem construir um negócio em torno de ensinar as habilidades que eles já tem de maneira consolidada e que foi muito praticada ao longo do tempo. Essas habilidades podem ser técnicas, criativas ou mesmo incluir habilidades indiretas como negociação, relacionamento e comunicação. Se você tem uma competência que leva muito tempo para dominar, tem uma alta barreira à entrada e está em demanda, você pode considerar a tarefa de "ensinar" ou "treinar" como parte de seu modelo de negócio.

Por exemplo, os instrutores no Tuts+ colocam cursos gratuitos e pagos na plataforma, ensinando habilidades como programação e design para web.

Teach at Envato TutsTeach at Envato TutsTeach at Envato Tuts
Ensine na Envato Tuts+.

Há também outras plataformas que trabalha com áreas específicas, tal como a Creativebug para artes e artesanatos. Há também plataformas educacionais, que você pode pesquisar online, e que hospedam uma grande variedade de aulas - de culinária à área da saúde, sobre negócios, sobre como aumentar sua velocidade de leitura, etc.

Mas você não necessariamente precisa se juntar a uma plataforma de cursos para começar a ensinar. Você pode criar seu próprio website para disponibilizar seu  curso, vender ebooks ou criar seminários e eventos de treinamento ao vivo.

Um bom exemplo é o designer Nathan Barry, um professor que vende seu conteúdo em sua própria plataforma, e que publica seus próprios ebooks sobre design de app - sendo que um desses materiais fez mais de $100.000 em vendas. A jornalista Mridu Khullar Relph, por outro lado, usa seu website tanto para vender cursos e ebooks, quanto para ensinar outros jornalistas a melhorar suas carreiras como freelancers.


2. Torne-se Criativo custeado pela Comunidade

Quando se trata de empreendimentos criativos, a Comunidade tem um papel importante a desempenhar - especialmente se você está dependendo de uma comunidade específica para financiar suas ideias. Este é o modelo usado por criativos que dependem principalmente de doações ou de uma base de financiamento que vem dos fãs. Neste modelo, se alguém gosta de seu trabalho, eles se comprometem a fazer doações recorrentes (mensalmente ou por conteúdo produzido, por exemplo) ou ajudam a financiar projetos criativos específicos em troca de recompensas exclusivas.

Apesar de muitos criativos conseguirem gerar e gerenciar doações por conta própria, eles também podem usar serviços de crowdfunding como:

  • Patreon é usado por artistas que trabalham em diferentes meios, dentre os quais se destacam: desenho e pintura, podcasts, fotografia e teatro. O quadrinista Jeph Jacques, que fez a tirinha "Questionable Content", fatura, pelo menos, $7.000 por mês a partir do site.
  • PledgeMusic financia músicos que trabalham com uma variedade de gêneros - do hip-hop ao rock.
  • Quirky é uma plataforma de crowdfunding para criação de novos produtos. Dentre os produtos recentes que foram financiados com o site, estão o Pawcet - um bebedouro para cachorro - e o Egg Minder - uma bandeja de ovos inteligente que controla quando os ovos vão estragar.
  • AppsFunder é utilizado para financiar o desenvolvimento de apps - incluindo jogos e ferramentas de produtividade.
  • Além do próprio Kickstarter, existem muitos outros sites de crowdfunding que apresentam projetos um diferentes áreas/campos, tais como a Indiegogo e RocketHub.

3. Transforme suas Habilidades em Produtos

Outra maneira de ganhar dinheiro na economia criativa está associada à ideia de transformar suas habilidades e conhecimento em produtos. Estes produtos destinam-se, frequentemente, a um grupo de pessoas que precisam da sua habilidade, mas não a detém. Pode ser através de um banco de imagens e fotografias, templates para design, ou de um documento que explica e simplifica processos complexos.

Ao contrário de serviços, que muitas vezes têm preços personalizados e requerem uma grande quantidade de tempo a sós com cada cliente, os produtos devem ter preços mais modestos e não são feitos sob medida para cada cliente.

Um exemplo disso são os criadores que participam da nossa plataforma Envato Maket, que vendem templates para website, modelos de gráficos, arquivos de vídeos e muito mais. Saiba como se tornar um autor e começar a vender. Existem mais de 6 milhões de usuários participando dessa economia encantadora.

Envato MarketEnvato MarketEnvato Market
Envato Market.

Aprenda mais sobre como fazer dinheiro a partir da venda desses tipos de itens e como você pode transformar seus serviços em produtos:

4. Publique Conteúdo

Quando se trata de ideias, uma maneira de fazê-las brilhar é criar um conteúdo que gere engajamento com o seu público-alvo. Este conteúdo pode ajudá-lo a se estabelecer no mercado como participante sério dentro da economia criativa, ou o conteúdo por si só pode ser o seu empreendimento gerador de renda.

Um exemplo popular disso é o site Brain Pickings. A escritora Maria Popova começou o website como um projeto pessoal e para seus amigos, mas ele eventualmente se tornou um dos sites mais populares na web - foi colocado, inclusive, no arquivo web permanente da Biblioteca do Congresso.

O site gera renda através de doações de leitores e comissões advindas da divulgação de livros sobre os quais Popova escreve. Embora o site não tenha propagandas, muitos outros criadores de conteúdo geralmente usam publicidade para ganhar dinheiro com seu conteúdo.

Além dos blogs, criadores de conteúdo também podem produzir, por exemplo, podcasts, vídeos, etc. Comece a produzir seu próprio conteúdo:

5. Crie Ferramentas Tecnológicas para Resolução de Problemas

Para aqueles que tem mais facilidade com tecnologia, criar ferramentas para resolução de problemas é uma excelente maneira de conseguir gerar impacto na economia criativa. Esses produtos são, geralmente, resultados de "startups enxutas", e requerem muito feedback dos usuários, a fim de que os criadores possam, rapidamente, lançar o item no mercado.

Creative Problem SolvingCreative Problem SolvingCreative Problem Solving
Crie ferramentas de resolução de problema (ilustração).

A inovação não tem que mudar o mundo - embora isso possa ajudar - ela só tem que resolver um problema doloroso que outras pessoas enfrentem. Se você quiser que seu projeto seja rentável, os usuários aos quais seu produtos se destina devem, também, estar dispostos a pagar por essa solução.

Um exemplo é o Bidsketch, que ajuda freelancers e profissionais de serviços a criarem propostas comerciais rapidamente. Outro exemplo é o Slack, um app de mensagens que cresceu muito em popularidade e é usado por muitas organizações - do Buzzfeed ao Laboratório de Propulsão a Jato da NASA (bem como em nossas equipes no Envato).

6. Ofereça uma Plataforma para Outros Criativos

A ideia principal da economia criativa é, normalmente, fazer algo você mesmo. Mas também é importante se aliar com outras pessoas que tenham os mesmos objetivos, bem como fornecer para esse grupo de indivíduos uma plataforma sobre a qual eles podem construir esse relacionamento - promovendo suas ideias e produtos. Isso pode acontecer na forma de eventos pagos, tais como convenções, seminários e painéis de discussão. Ou você pode, também, trabalhar com a publicação, promoção e distribuição de seus produtos. Neste modelo, é como se você fosse o dono da galeria ou o negociante de arte - ao invés do artista.

Exemplos notáveis incluem a Circles Conference, onde criativos participam de oficinas e painéis de discussão - além da própria rede de contatos que se cria nesse tipo de ambiente. Há, também, a Radiotopia, que é essencialmente uma rede de podcasts composta de produtores independentes que desenvolvem suas criações baseados em narrativas.

7. Invista em Outros Criativos

Essa ideia é similar ao que foi explicado no item anterior, mas agora você se arrisca mais, investindo financeiramente em ideias criativas de outras pessoas. Se você é mais experiente em negócios e finanças, você pode investir em outros negócios de outros criativos. Este tipo de oportunidade costumava ser restrita apenas para grandes investidores (com muito dinheiro para colocar à disposição), mas, cada vez mais comum, existem opções nas quais as startups dão, em retorno às rodadas iniciais de investimento, parte proporcional de seu patrimônio líquido.

Uma desvantagem deste modelo é que isso se tornou um jogo de apostas altas, que exige conhecimento profundo em investimento e negócios. Não é um ponto de entrada ideal na economia criativa.

Como Será o seu Futuro na Economia Criativa?

Levando em consideração todas essas opções, você pode começar a pensar em maneiras de usar suas habilidades e ideias para participar da economia criativa. Você pode usar uma das ideias acima, ou misturar duas ou mais delas. O importante é que, no final do dia, suas ideias sejam consideradas valiosas e úteis para outras pessoas.

Advertisement
Advertisement
Looking for something to help kick start your next project?
Envato Market has a range of items for sale to help get you started.